Psicologia Social do Racismo: estudos sobre branquitude e branqueamento no Brasil


Editora: Editora Vozes

Autor: Iray Carone & Maria Aparecida Silva

Publicado: 2001

Conhecer o branco por meio da maneira como silencia ou se manifesta sobre negros é uma das inovadoras possibilidades que esta obra nos oferece. A ênfase sobre um problema do negro, habitual na literatura clássica sobre relações raciais, convive com um suspeito silêncio sobre o lugar do branco, que parece ter estado ausente da história de 500 anos de Brasil. Este processo é revelador do peso da branquitude na manutenção e reprodução das desigualdades raciais, sistematicamente tratadas como um problema de negro. É preciso compreender o discurso que o silêncio sobre o branco oculta. Compreender a dimensão subjetiva da branquitude é focalizar o medo que sustenta os estereótipos de sexualidade e de fertilidade projetados sobre negros, é entender os pactos narcísicos entre os brancos e a luta silenciosa pela manutenção dos privilégios raciais. É compreender por que a indignação frente à opressão de classe e de gênero não incorpora naturalmente a indignação diante da opressão racial. É entender o significado da expressão "Indignação Narcísica". Por outro lado, é também compreender o óbvio: as desigualdades raciais são gestadas num contexto relacional em que negros e brancos estão necessariamente colocados.

Relacionados