'É Tudo Verdade': Festival de documentários exibe gratuitamente 56 títulos

Autor: Paulo Amaral Data da postagem: 14:00 12/04/2018 Visualizacões: 566
Curta a nóticia:
Curta o CEERT:
Cena do documentário 'Auto de Resistência', dirigido por Natasha Néri e Lula Carvalho / Foto: Divulgação - Reprodução - HuffPost Brasil

23ª edição do festival internacional ocorre entre os dias 11 e 22 de abril.

O É Tudo Verdade chega à sua 23ª edição neste ano. Criado pelo crítico Amir Labaki, o mais importante festival de documentários do Brasil acontece entre os próximos dias 11 e 22 de abril em São Paulo e no Rio de Janeiro, reunindo os principais documentários do ano – nacionais e internacionais.

A mostra apresentará 55 filmes, entre longas e curtas. Sete deles são dirigidos por mulheres. Um dos principais destaques da programação é Auto de Resistência, de Natasha Néri e Lula Carvalho.

O filme, ainda inédito no Brasil, mostra um panorama contemporâneo de homicídios praticados pela polícia contra civis no Rio de Janeiro em situações inicialmente rotuladas como legítima defesa.

??????"Essa aberração não é uma exceção. É um padrão da polícia", sintetizou Natasha Néri, em entrevista ao jornal Zero Hora, do Rio Grande do Sul.

Assista ao trailer:

Além deste, os demais filmes dirigidos por mulheres e que estarão em destaque na programação do evento são os seguintes:

Carvana, de Lulu Corrêa (Brasil);

O Processo, de Maria Augusta Ramos (Brasil);

As Crianças da Rua Saint-Maur, de Paris Xe (França);

500 anos, de Pamela Yates (Estados Unidos);

Amor É Batatas, de Aliona van der Horst (Holanda);

Naila e o Levante, de Julia Bacha (Palestina);

Para saber dias, horários de exibição e detalhes dos filmes, é só visitar a página oficial do evento clicando aqui.

Homenageada

Pamela Yates, a homenageada deste ano no 'É Tudo Verdade' / Foto: Getty Images

A americana Pamela Yates será a grande homenageada desta edição do festival.

Documentarista com trabalhos ligados aos direitos humanos e América Latina, ela virá ao Brasil para encontros com o público nas duas cidades – dia 14, às 18 horas, no Instituto Moreira Salles (Rio de Janeiro) e dia 18, às 15 horas, no Sesc 24 de maio (São Paulo).

O É Tudo Verdade vai apresentar também a chamada Trilogia Guatemalteca, feito pela diretora ao longo de 35 anos: Quando as Montanhas Tremem (1983), Granito (2011) e 500 Anos (2017).

Documentários de diretoras online

A programação inclui também uma mostra online, que vai apresentar ao público trabalhos de cineastas brasileiras que participaram de edições interiores do festival.

Cinco filmes estarão disponíveis no site do Itaú Cultural de 17 a 22 de abril.

São eles:

Os Melhores Anos de Nossas Vidas, de Andrea Pasquini;

Aboio, de Marília Rocha;

Carmem Miranda, Banana Is My Business (2014), de Helena Solberg;

Dona Helena (2006), de Tatiana Toffoli;

Domingos (2008), de Maria Ribeiro.

Novidade na abertura

Diferentemente do ocorrido nos outros anos, o Festival Internacional de Documentários terá duas grandes aberturas em 2018: quarta (11), no Auditório Ibirapuera, em São Paulo, e quinta (12), na Cinemateca do Museu de Arte Moderna (MAM), no Rio de Janeiro.

O filme de abertura escolhido para os paulistanos será Adoniran – Meu Nome é João Rubinato, documentário inédito de Pedro Serrano. O diretor se mostrou satisfeito por ter a chance de expor a vida e a obra daquele que é considerado o maior nome do samba paulista.

Foto: Divulgação

Os cariocas, por sua vez, terão como filme de abertura Carvana. Dirigida por Lulu Corrêa, a obra apresenta Hugo Carvana, exímio contador de histórias, narrando sua própria trajetória em 60 anos de carreira – com entrevistas colhidas nos anos 70 até seus últimos dias de vida, em 2014.

A entrada para todas as sessões é franca e os ingressos podem ser retirados uma hora antes do início de cada filme.

Para ver a programação completa da 23ª edição do Festival é só visitar a página oficial do evento.

Curta a nóticia:
Curta o CEERT: