Empoderamento e direitos sexuais pautam congresso de ginecologia e obstetrícia em SP

Autor: Redação Nações Unidas no Brasil Data da postagem: 17:00 29/08/2018 Visualizacões: 711
Curta a nóticia:
Curta o CEERT:
A campanha Ela Decide teve um painel especial durante o 23º Congresso Paulista de Ginecologia e Obstetrícia, realizado pela Associação de Obstetrícia e Ginecologia do Estado de São Paulo (SOGESP) / Foto: UNFPA Brasil - Reprodução - Nações Unidas no Brasil

A campanha Ela Decide, focada no empoderamento de jovens e mulheres, foi apresentada pelo Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) na sexta-feira (24) durante o 23º Congresso Paulista de Ginecologia e Obstetrícia, na capital paulista.

O evento, realizado pela Associação de Obstetrícia e Ginecologia do Estado de São Paulo (SOGESP), contou com a presença de profissionais da saúde, médicos e médicas, e adolescentes de várias regiões do estado.

Ao todo, cerca de 150 pessoas tiveram a oportunidade de ampliar o entendimento sobre os desafios específicos das e dos jovens no campo da saúde sexual e dos direitos reprodutivos.

Estavam presentes as médicas Rossana Pulcineli, Carolina Ambrigini, Carolina Salles, além da influenciadora digital Gabi Oliveira, do canal De Pretas — que apoia a campanha desde seu lançamento, em abril — e de Anna Cunha, oficial do UNFPA. Entre os presentes, cerca de 100 eram jovens e adolescentes de projetos sociais de São Paulo e Campinas.

As especialistas discutiram temas como início da vida sexual, relacionamento com os pais, namoros, infecções sexualmente transmissíveis, contracepção, saúde e direitos. No Brasil, um em cada cinco bebês nasce de mãe com idade entre 10 e 19 anos.

Segundo Anna Cunha, o evento teve como objetivo falar sobre os direitos e cuidados com as mulheres para que elas sejam respeitadas e possam fazer valer as decisões sobre sua sexualidade e seu futuro.

“Para os profissionais da saúde, o importante é não estigmatizar uma adolescente que traz relatos de violência em suas consultas pré-natal”, declarou.

Para Rossana Pulcineli, os meninos também devem apoiar as meninas em suas decisões, e o desafio é fazer as informações chegarem com qualidade ao maior número de pessoas. “A gente precisa se aproximar da população para levar informação de qualidade e fazer a prevenção. A informação para o adolescente precisa ser acessível, sem vergonha e julgamento”.

Os vídeos da campanha, estrelados pelas atrizes Juliana Alves, Bella Piero, por Gabi Oliveira e pela também youtuber Juliana Tolezano, a JoutJout, foram apresentados no encontro.

Gabi Oliveira ressaltou a importância da comunicação com os jovens. “Os adolescentes já têm uma linguagem diferente da minha. Hoje, em uma notícia, as pessoas só leem os títulos e isso é um grande desafio, tanto para uma campanha como para o universo da Medicina, que precisa se adaptar à nova juventude”.

Carolina Salles disse que o papel dos médicos é chegar mais próximo desse público, mostrar todas as formas de cuidados com a sexualidade e o funcionamento dos métodos anticoncepcionais. “Empoderamento é saber o que existe, quais são os métodos disponíveis, e a partir de informações, decidir o que é melhor pra você”.

A médica Carolina Ambrogini ressaltou a importância do prazer e do cuidado com a vida sexual. “Sexo é uma coisa que exige cuidado e tempo. Não pode existir a banalização de algo que por natureza deve ser gostoso e prazeroso”.

Mais informações sobre a campanha estão disponíveis no site eladecide.org.

Curta a nóticia:
Curta o CEERT: