Fórum Negro das Artes Cênicas discute o ensino da Arte na Universidade

Autor: Redação Correio Nagô Data da postagem: 17:00 12/04/2018 Visualizacões: 604
Curta a nóticia:
Curta o CEERT:
A Prof. Drª. Lêda Maria Martins (UFMG), renomada pesquisadora da cultura afro-brasileira, participa do Fórum / Foto: Segunda Preta – 04-09-17 – Pablo Bernardo - Reprodução - Correio Nagô

Evento começa amanhã (11) e segue até 14 deste mês, na Escola de Teatro da UFBA com programação diversificada

Tendo como eixo temático as “Poéticas, Estéticas e Epistemologias Afrodiaspóricas”, o II Fórum Negro das Artes Cênicas (FNAC) dará as boas-vindas à sua segunda edição, nesta segunda (11), no Teatro Martin Gonçalves -Escola de Teatro da UFBA. Visando contribuir com a formação e pesquisa em Arte no ensino universitário contará com a presença de ilustres artistas e pesquisadores da cultura negra. Rodas de pesquisa, mesas de debates, oficinas, espetáculos e outros, irão discutir a inserção do pensamento negro nas questões do ensino da Arte ao redor do mundo.

Para participar do II FNAC basta se inscrever no site: www.forumnegroac.ufba.br. A inscrição é gratuita e terá direito a certificado os participantes que comparecerem em 75% das atividades.

Após o sucesso da primeira edição, resultante em uma carta com 16 proposições para o avanço da temática, entre elas, a publicação da Revista Repertório nº 29, a contratação de professores negros e a 51ª montagem da Cia de Teatro da UFBA: “Gusmão – O Anjo Negro e sua legião”, primeira montagem da Cia com elenco majoritariamente negro, o II Fórum Negro das Artes Cênicas (FNAC) traz ao público soteropolitano referências nacionais e internacionais no ensino da Arte de matriz africana. Entre elas, a Prof. Drª. Lêda Maria Martins (UFMG), renomada pesquisadora da cultura afro-brasileira, desenvolveu entre outros projetos de pesquisa, os seguintes: O Palco em Negro: estudo da dramaturgia e da escritura cênicas contemporâneas de matizes afro descendentes; Performances do Movimento: a escritura cênico-dramática do rito no Congado; Performances do tempo espiralar; Afro-descendências: raça e etnia na cultura brasileira. Lêda também atua como poeta, ensaísta e dramaturga. 

Outro nome bastante esperado para esta edição é o Prof. Dr. Patrick Acogny, dançarino, coreógrafo e professor, Mestre em Artes Cênicas e Doutor em artes, ciência, tecnologia e estética na Universidade de Paris 8. Patrick também é Filho e colaborador privilegiado de Germaine Acogny e seu marido Helmut Vogt e desde 2014 é o diretor artístico da L’ECOLE DES SABLES (A escola das areias), localizada em Dakhar-Senegal e importante Centro Internacional de formação e criação em danças tradicionais e contemporâneas da África. O Centro foi criado em 1998 pela bailarina e coreógrafa Germaine Acogny, considerada a mãe da dança africana contemporânea, referência mundial nos estudos e na produção artística em dança.

O Evento traz também como aposta para esta edição a vinda de delegações estudantis de outras escolas de arte do interior da Bahia, do Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Brasília. A Comissão Organizadora está composta por representantes do PPGAC (Programa de Pós – Graduação em Artes Cênicas), da ETUFBA (Escola de Teatro da UFBA), do IHAC (Instituto de Humanidades, Artes e Ciências Professor Milton Santos, do PPGDança (Programa de Pós – Graduação em Dança) e da Escola de Dança da UFBA, contemplando as diferentes visões sobre a Negritude e a Arte na universidade. O II FNAC conta também com o apoio da PROEXT (Pró – reitoria de Extensão – UFBA), PROAE (Pró – reitoria de Assistência Estudantil – UFBA) e da FUNCEB (Fundação de Cultura do Estado da Bahia).

Curta a nóticia:
Curta o CEERT: