Mulheres negras e indígenas são as mais vulneráveis à violência

Autor: Isabela Alves Data da postagem: 11:00 13/03/2018 Visualizacões: 703
Curta a nóticia:
Curta o CEERT:
Mulheres negras e indígenas são as mais vulneráveis à violência / Foto: Reprodução - Observatório do Terceiro Setor

O índice de homicídios de mulheres nas regiões Norte e Nordeste do Brasil aumentou 75% em dez anos

Em um ranking com 83 países, o Brasil tem a quinta maior taxa de homicídios de mulheres, segundo o relatório Retrato do Gênero no Brasil Hojedo Banco Mundial. E esses homicídios afetam principalmente as mulheres negras e indígenas.

A região Sudeste é a que tem os menores índices de homicídios de mulheres (3,8 casos para cada 100.000 mulheres) e foi a única a registrar uma diminuição entre 2003 e 2013 (casos diminuíram 29,3%). Nas regiões Norte e Nordeste, no mesmo período, a taxa de homicídios de mulheres subiu mais de 75%. O aumento se concentrou, principalmente, entre as mulheres negras e indígenas, particularmente no Nordeste, onde o índice de homicídios de negras e pardas aumentou 103% ao longo da década.

As mulheres indígenas são as mais vulneráveis à violência. Em 2012, o índice médio de homicídios de mulheres no país foi de 4,6 por 100.000. O número foi quase duas vezes maior entre as indígenas: 7,3 por 100.000. Além disso, em 2015, o índice de suicídios dessa população foi de 5,8 por 100.000, mais que o dobro da média feminina brasileira, de 2,2.

Curta a nóticia:
Curta o CEERT: