Alunos têm projetos sociais reconhecidos pela Rede Laureate

Autor: Fernanda V. Flores Data da postagem: 17:00 10/01/2019 Visualizacões: 506
Curta a nóticia:
Curta o CEERT:
Foto: Divulgação - Reprodução

Nos últimos meses do ano de 2018, os alunos da Rede Laureate desenvolveram diversos projetos sociais e acadêmicos destinados à comunidade e aos alunos das instituições.

Alguns destes projetos ganharam destaque no “Prêmio Laureate Brasil – Jovem Empreendedor Social 2018”, que tem como objetivo apoiar, dignificar e empoderar as iniciativas vindas de alunos de toda a rede no país, levando em conta também os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU).

O evento acontece no campus da Universidade Anhembi Morumbi e premia alunos que passaram por todas as etapas do evento com R$ 2 mil para investimento em seus respectivos projetos sociais. Estas foram algumas das iniciativas premiadas: 

- PLANT – Fazendas Urbanas: as ações deste projeto, contam com o plantio, replantio e colheita de alimentos em áreas pobres, com o objetivo de diminuir as desigualdades econômicas e sociais do país, oferecendo oportunidades de trabalho aos mais necessitados levando até eles a agricultura.  

 

- Instituto Desenhando Sorrisos: é um projeto desenvolvido por uma psicóloga (quando ainda estava estudando), que atende e ajuda pessoas que sofreram abuso sexual durante a infância.  

 

- InfoLibras: feito a partir de um trabalho acadêmico de um estudante de jornalismo, que visa fornecer conteúdos informativos para pessoas com deficiências auditivas (vídeos com audiodescrição e um intérprete fazendo a transcrição do que está sendo dito para a Língua Brasileira de Sinais, a Libras).

Fora estes projetos que foram premiados, os alunos da UniRitter do Rio Grande do Sul, também participaram e criaram projetos que levam conhecimentos e valores à comunidade:

- Os alunos do curso de Enfermagem participaram da campanha do Outubro Rosa em seus estágios supervisionados, oferecendo diversos conteúdos e palestras sobre a conscientização sobre o câncer de mama;

- O estudante Thomaz Felipe, também do curso de Enfermagem, criou uma Horta Solidária, que visa tratar pacientes hipertensos que não fazem o tratamento medicamentoso;  

 

- Atividades desenvolvida por alunos dos cursos de Pedagogia, História e Letras sobre a interação da cultura surda com a literatura. Os alunos utilizaram os sinais de Libras para contar as histórias aos colegas;

 

- AfroFapa: palestra promovida por alunos negros do curso de Jornalismo, e que debate a escassa presença de alunos e profissionais negros no ramo da comunicação;

 

- Alunos do curso de Enfermagem realizaram atividades para a prevenção ao mosquito da dengue através de dinâmicas com alunos da terceira série de uma escola.

Durante o ano, além de todos estes projetos, a UniRitter, seus colaboradores e alunos criam e incentivam diversas atividades acadêmicas e sociais que têm sempre o objetivo de ajudar de alguma forma a quem esteja ouvindo.

Curta a nóticia:
Curta o CEERT: