"Reforma da Previdência vai levar pobres a um patamar de miséria", diz padre

Autor: Fania Rodrigues Data da postagem: 15:30 20/04/2017 Visualizacões: 218
Curta a nóticia:
Curta o CEERT:
Frei Alamiro diz que padres e pastores devem defender seus rebanhos das injustiças / Foto: Igreja Católica - Brasil de Fato

Além de padres, bispos e até o papa Francisco estão se posicionando contra a medida do Governo Temer

Padres, bispos e até o papa Francisco estão se posicionando contra a reforma de Previdência proposta pelo presidente golpista, Michel Temer (PMDB). Em uma carta enviada ao governo brasileiro, Francisco afirma que os pobres não podem pagar pela crise política e econômica que o país vive. "Não posso deixar de pensar em tantas pessoas, sobretudo nos mais pobres, que muitas vezes se veem completamente abandonados e costumam ser aqueles que pagam o preço mais amargo e dilacerante de algumas soluções fáceis e superficiais para crises que vão muito além da esfera meramente financeira", escreveu o pontífice.

Depois isso, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e o Conselho Federal de Economia (Cofecon) também se posicionaram publicamente e divulgaram, nessa quarta-feira (19), uma nota conjunta criticando a reforma da Previdência.

“Nenhuma reforma que afete direitos básicos da população pode ser formulada sem a devida discussão com o conjunto da sociedade e suas organizações. A reforma da Previdência não pode ser aprovada apressadamente, nem pode colocar os interesses do mercado financeiro acima das necessidades da população”, diz a nota.

Diante dessas vozes que se levantaram dentro da igreja católica, o Brasil de Fato foi conversar com o Frei Alamiro, do Convento Santo Antônio, do Rio de Janeiro (RJ). Ele pertence à Ordem Franciscana, a mesma ala da Igreja Católica seguida pelo papa.

Brasil de Fato: Qual a sua opinião sobre a reforma da Previdência?

Frei Alamiro: A proposta de reforma da Previdência apresentada pelo ilegítimo governo de Michel Temer foi feita por pessoas que só conseguem ver o lado financeiro da questão. O que desejam é o aumento de sua própria riqueza ou de seu grupo político-econômico. Não estão olhando para a situação de milhões de brasileiros que ficarão excluídos. Não levam em conta os mais importantes valores éticos e morais de um convívio minimamente civilizado entre seres humanos.

De que forma a reforma da Previdência atinge a população mais pobre?

Na dinâmica do projeto de Brasil dos golpistas, a população mais humilde ficará cada vez mais empobrecida até chegar a um patamar de miséria.

Qual é o papel de um padre e da Igreja na defesa dos mais pobres?

Padre, pastor ou bispo, [nós] temos um compromisso com o Reino de Deus e sua justiça, tão bem explicado por Jesus Cristo nos Evangelhos da Bíblia. Temos que dizer com palavras e ações, no mundo de hoje, o que Cristo ensinou há quase dois mil anos atrás. Temos que ser pastores que colocam nos ombros as ovelhas mais empobrecidas e injustiçadas, mas também ser profetas e, com o cajado, defender a vida contra o ataque de lobos vorazes, corja de ladrões que tentam acobertar seus erros com a toga da legalidade.

Por que a reforma da Previdência deve receber a atenção da Igreja?

Todo o sistema previdenciário não é um presente que os poderosos deste mundo doam "caridosamente" aos espoliados trabalhadores. Esta é uma conquista duramente adquirida com a vida e o sangue de lutadores por uma sociedade justa e fraterna, independente de terem ou não terem essa ou aquela religião.

Qual a mensagem que o senhor deixaria aos fiéis? Por que é importante defender os direitos dos trabalhadores?

Nada melhor do que lermos a carta que o papa Francisco escreveu ao Governo Temer, recusando seu convite para visitar o Brasil em 2017, quando a Comunidade Católica celebra os 300 anos de devoção à Nossa Senhora Aparecida. "Não podemos mais confiar nas forças cegas e na mão invisível do mercado financeiro. O crescimento igualitário exige algo mais do que o crescimento econômico", diz o comunicado papal. Lembrar o papa Francisco e tornar presente entre nós o grande São Francisco de Assis, que a todos saudava com o desejo de “paz e bem”, mas a paz é fruto da justiça social.

Curta a nóticia:
Curta o CEERT: