Festival Percurso destaca ancestralidade negra e indígena na quebrada

Curta a agenda:
Curta o CEERT:
Festival Percurso destaca ancestralidade negra e indígena na quebrada / Foto: Reprodução - Periferia em Movimento

Ínicio: 09:00, Domingo, 09 de Dezembro de 2018
Término: 23:00, Domingo, 09 de Dezembro de 2018
Local: Praça Do Campo Limpo: R. Dr. Joviano Pachêco de Aguirre, 30 - Jardim Bom Refugio, São Paulo - SP, 05788-290


MaiorTerreiroDoMundo convida Xaxado Novo, Rincon Sapiência, Maracatu Nação Kambinda, Bia Ferreira, Tião Carvalho, Graja Minas e Mãe Beth de Oxum em evento para 10 mil pessoas na Praça do Campo Limpo

Idealizado como o #maiorterreirodomundo, o Festival Percurso 2018 – De Jardim a Jardim ocorre neste domingo (09 de dezembro), na Praça do Campo Limpo, zona Sul de São Paulo. Palco histórico de atividades culturais da região, o local é berço histórico de saraus, eventos literários e de artistas como Racionais MCs, por exemplo.

Nesta quinta edição, a proposta é reverenciar a ancestralidade dos povos de terreiro e indígenas até a nova geração de visionários das periferias – com a arte e a cultura promovendo pontes e fomentando a economia local.

Por isso, o festival convida 40 diferentes atrações artísticas para se apresentarem ao longo do dia – entre elas, Rincon Sapiência, Xaxado Novo, Maracatu Nação Kambinda, Bia Ferreira, Tião Carvalho e Mãe Beth de Oxum. A expectativa é reunir 10 mil pessoas no evento, com uma programação gratuita que abrange crianças, jovens, adultos e idosos.

Pontes

“O Percurso traz a união das relações de produção, consumo e comercialização de serviços locais com a arte e a cultura da periferia e das regiões centrais. Tudo isso em harmonia com a sabedoria e os ensinamentos dos nossos mestres e ancestrais. Ao reverenciar nossos sábios também prestigiamos a caminhada que segue pelas novas gerações”, aponta Thiago Vinicius, da Agência Solano Trindade, que organiza o festival com o movimento De Jardim a Jardim.

Foto: Leu Britto

Haverá ainda um show que mescla três apresentações no mesmo palco para celebrar os encontros transformadores entre as periferias e o centro. A banda Abôrigens, projeto da produtora cultural e social A Banca se encontra com Curumin, num um intercâmbio de saberes e fazeres entre jovens de diferentes origens socioeconômicas de São Paulo promovido pela associação C de Cultura.

A tradicional roda de samba Ajayô Samba do Monte comemora seus dez anos no festival, levando ao palco Raquel Tobias, uma das pioneiras a levar o protagonismo feminino ao samba, e representantes históricos da velha guarda das escolas de samba de São Paulo. Entre eles, estarão Seu Carlão, conhecedor das origens do jongo e do congado e um dos fundadores da Unidos do Peruche, e o compositor Silvio Modesto, da Pérola Negra, que já foi gravado por Bezerra da Silva e ainda acompanhou Cartola na gravação de seu último show ao vivo.

“O lema do Festival Percurso é Juventude Periférica, gerando renda, trabalho e desenvolvimento local, o que significa que a nossa visão de geração de renda está ligada ao desenvolvimento comunitário”, contou Alex Barcellos, produtor cultural da Agência Solano Trindade.

Aquilombamento

Ao pensada para ser o #maiorterreirodomundo, na prática o Festival Percurso vai fomentar a união que passa entre os povos através de diferentes vertentes musicais, culturas ancestrais e a economia, trazendo a ‘re-união’ do que há de mais bonito no Brasil: o conceito de agrupamento, de aquilombamento, transformando a Praça do Campo Limpo em um chão abençoado por mestres de religiões de matriz africana e indígena. Nessa confraternização, o bastão dos sábios griôs será passado para as mãos da nova geração.

Confira a programação de algumas tendas

A Tenda das Yabás homenageia as mães-rainhas e os orixás femininos, exaltando a força artística das mulheres da periferia. Está confirmada a presença do coletivo União Popular de Mulheres, que desde a década de 1960 promove a emancipação e conquista plena dos direitos da mulher. Também está confirmada a presença da Aldeia Tenondé Porã, com intervenção artística do Coral Guarani, ao som de rabeca e violão. Neste espaço ocorre também a exposição da fotógrafa Lela Beltrão, que em 2016 já esteve no Salão de Arte Contemporânea, no Carrossel Du Louvre, em Paris.

O espaço recebe também a Associação de Kung Fu Garra de Águia Lily Lau, de Taboão da Serra, apresentando o espetáculo Dança de Leão, do folclore chinês, para espantar maus espíritos e trazer sorte e prosperidade.

A atividade “Gestar, Parir e Cuidar em Percurso” ocorre a partir das 9h30 na Tenda das Yabás com diálogos sobre a gestação, assistência ao parto humanizado, pós-parto e perspectivas de atuação no atual contexto político. Haverá participação de doulas, profissionais de unidades de básicas de saúde, obstetriz, além de oficinas de dança materna, sling, cultura da amamentação e pintura de barriga. Entre outros convidados estarão, Ayê Coletiva, representantes do centro de parto humanizado Casa Ângela e o coletivo Mãe na Roda.

Funk de Griffe / Foto: Divulgação

A programação ainda inclui apresentação teatral com a companhia Satyros, apresentação musical e artística com Funk de Griffe, Graja Minas e poesia com o Slam das Minas SP.

Pela primeira vez o evento conta também com a Tenda dos Erês, com uma programação especial para as crianças, em um espaço lúdico com o propósito de oferecer alegria, integração, cultura e valores humanísticos para o público infantil. Haverá jogos cooperativos, pintura indígena, oficinas artísticas, brincadeiras antigas e populares de povos do mundo, contação de histórias e clown.

Já a Tenda dos Povos vai reunir uma comitiva de mais de 20 mestras e mestres de povos de terreiro, representantes da juventude camponesa, quilombolas e indígenas Guarani e Pataxó. A curadoria do encontro é do Mestre Aderbal Ashogun, sacerdote do candomblé, professor, artista, escritor e coordenador da rede Omo Aro Cia Cultural, que desde 1992 tem como prioridade a manutenção e o resgate do complexo cultural dos povos tradicionais de terreiros e celebra a união dos povos em torno de um objetivo comum: a preservação e manutenção da cultura brasileira principalmente dos povos e comunidades de matriz africana, indígena e cigana. Esta tenda recebe também a presença de Raniere Costa, capoeirista, filho do Mestre Môa do Katendê.

Festival Percurso 2018

Quando: Domingo, 09 de dezembro, a partir das 10h

Onde: Na Praça do Campo Limpo  - Praça João Tadeu Priolli - Campo Limpo - Zona Sul de São Paulo

Curta a agenda:
Curta o CEERT: